OPERAÇÃO LAVA JATO – PF investiga Odebrecht em inquérito à parte

Até agora, maior construtora do país não teve executivos presos na Operação Lava Jato

:

AGUIRRE TALENTO, GABRIEL MASCARENHAS,RUBENS VALENTE

A Polícia Federal dividiu a Operação Lava Jato e abriu inquérito para apurar “eventuais crimes de peculato [desvio de recursos] e lavagem de dinheiro” cometidos por controladores do grupo Odebrecht, dono da maior construtora do país, com receita bruta de R$ 97 bilhões.

A empreiteira foi alvo de mandados de busca e apreensão na sétima fase da operação, no dia 14, mas não chegou a ter executivos detidos, como ocorreu com outras empresas –foram presos funcionários de oito delas.

O inquérito, aberto no fim do mês passado, aponta que a PF ainda está levantando informações sobre um possível envolvimento da Odebrecht com o esquema de desvio de recursos da Petrobras.

Por isso, a Justiça solicitou à construtora informações sobre contratos firmados com empresas ligadas ao doleiro Alberto Youssef, usadas para lavagem de dinheiro.

Em depoimento à Justiça, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa havia afirmado que recebeu “recursos ilícitos repassados pela empresa Odebrecht, citando o executivo Márcio Faria como parte integrante do esquema”, de acordo com o juiz Sergio Moro.

Segundo a PF, Márcio Faria é diretor da Odebrecht Plantas Industriais e Participações, uma empresa do grupo. Com base nessas informações, a Odebrecht também é questionada sobre eventuais pagamentos a Costa.

O ex-diretor apontou ainda que a empresa fazia parte do cartel formado para fraudar licitações na estatal.

No relatório que justifica a abertura de inquérito, a PF cita denúncia criminal realizada pelo Ministério Público do Rio que apontou a “suposta concessão de vantagens financeiras indevidas” à Odebrecht em licitação da área internacional da Petrobras.

OUTRO LADO

Procurada, a Odebrecht diz que o inquérito surgiu “a partir de notícias da imprensa e de uma ação que já tramita no Rio de Janeiro, que é o juízo competente para o caso”.

A empresa nega ter feito pagamentos a Paulo Roberto Costa, “a qualquer executivo ou ex-executivo da estatal” ou às empresas de Youssef.

A Petrobras diz que deu explicações sobre o tema e está “à disposição para eventuais esclarecimentos adicionais”.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/197019-pf-investiga-odebrecht-em-inquerito-a-parte.shtml

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s