Como Cavendish conseguiu se blindar na CPI

30 de Junho de 2012

247 – Uma questão intriga o País: por que os membros da CPI do caso Cachoeira ainda não aprovaram a convocação do empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Delta? Mais: por que o relator Odair Cunha (PT/MG) e os deputados Paulo Teixeira (PT/SP) e Cândido Vaccarezza (PT/SP) agiram de forma tão contundente para evitar que o depoimento ocorresse, duas semanas atrás?

A resposta está nas ameaças que Cavendish vem conseguindo plantar na imprensa. Mais especificamente na revista Veja. Nesta semana, isso aconteceu mais uma vez. E de forma escancarada na reportagem “A tesouraria-fantasma”, assinada por Rodrigo Rangel e Daniel Pereira.

O texto aponta o nome de sete empresas, registradas em nomes de laranjas, que receberam R$ 93 milhões da Delta, entre 2008 e 2010. São elas: Power To Tem Engenharia, SP Terraplenagem, Soterra Terraplenagem, SB Serviços de Terraplenagem, JSM Engenharia, WS Serviços de Terraplenagem e BW Serviços de Terraplenagem.

A reportagem tem um trecho que deixa claras as digitais de Cavendish. É o seguinte:

“Todas as empreiteiras contrataram as mesmas empresas-laranja. Éramos os menores clientes dessa rede”, disse a Veja um ex-executivo da Delta. Já Cavendish se recusou a falar no assunto.

Evidentemente, foi Cavendish quem passou a mensagem e fingiu negar ao “ser procurado” para comentar o assunto. Um recurso clássico, usado pelo chamado jornalismo investigativo, quando uma fonte pretende plantar uma mensagem qualquer, sem identificar a autoria.

De acordo com a reportagem, as sete empresas usadas pela Delta e outras empreiteiras emitiam notas frias, que permitiam gerar recursos para o caixa dois de campanhas eleitorais – o que, muito provavelmente, seja verdade.

Cavendish aponta suas baterias contra as empresas EIT, Triunfo e UTC. Elas são ligadas ao empresário Ricardo Pessoa, ex-diretor da OAS, e têm apresentado forte crescimento nos últimos anos. A Triunfo, por exemplo, venceu o leilão para administrar a concessão do Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

De acordo com Veja, Cavendish permanecerá calado se for à CPI.

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/67303/Como-Cavendish-conseguiu-se-blindar-na-CPI.htm

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s